void life(void)

Feliz Ano Novo !!!

February 20th, 2008

Não, eu não estou maluco e sei que hoje é 20 de Fevereiro, mas é isso mesmo: “Feliz Ano Novo”

Meu Ano Novo começa de verdade hoje.

Desde Dezembro estou trabalhando na análise das proposições do ECMA aos comentários brasileiros (e internacionais) enviados à ISO quando o OpenXML foi rejeitado em Setembro. Digo desde Dezembro, pois apesar de termos recebido a versão oficial dos comentários em 14 de Janeiro deste ano, desde Dezembro já tinhamos as versões preliminares e foi isso que fiz desde então: Analisar as proposições.

Para se ter uma idéia, a versão final das proposições é um documento (PDF) com 2.500 páginas que propões alterações às mais de 6.000 páginas já existentes da especificação. O documento da especificação que conta com a maior parte dos problemas é o da Parte 4, que é um arquivo PDF de 37MB e possui singelas 5.220 páginas.

Isso significa que para se encontrar um tópico da especificação (atividade mais básica e fundamental para a sua revisão), podem ser necessários até cinco minutos (usando uma boa máquina e levando em conta a abertura do documento). Uma busca trival não é normalmente realizada em menos de um minuto.

Só como ilustração, encontramos proposições com mais de 35 páginas e a proposição que aparentemente deu mais trabalho no Brasil, demandou 6 horas de trabalho do responsável pela sua análise (que aliás é um dos profissionais mais experientes do nosso grupo).

A que me tomou mais tempo, me tomou 3 horas de análise (na terceira tentativa, pois nas duas anteriores eu quase tive uma convulsão, dada a complexidade do tema, e desisti depois da primeira hora. Se somarmos as duas tentativas mais a final, passei mais de 5 horas em um único ponto).

De acordo com o resumo publicado ontem no Blog do Fernando Gebara, profissional da Microsoft que conduziu com extrema habilidade e isenção a análise técnica, os números finais do nosso trabalho é:

  • - 64 proposições aos problemas brasileiros profundamente analisadas e debatidas (diga-se de passagem, analisadas duas vezes ao menos, uma com a atenção voltada ao Brasil e a segunda com a atenção voltada aos demais comentários que eram respondidos na mesma proposta de alteração).
  • - Das 1027 respostas emitidas aos comentários de todos os países, 611 (59,5%) delas tiveram um parecer postado no portal de trabalho do grupo;
  • - Dessas 611, o grupo debateu, em 12 áudio-conferências e três reuniões presenciais, 72 questões que os membros que as analisaram acharam mais adequado levar ao grupo para apresentar com mais destaque sua opinião.

Ele cita ainda a estimativa de 1.000 horas homem nesta última fase da análise (desde 14 de Janeiro de 2008), mas acho a estimativa conservadora mesmo. Acredito que só a minha alocação e a dele (ou seja apenas 2 dos quase 15 membros que mais trabalharam no grupo) chega a 900 horas com facilidade neste período (sem contar horas extras).

Cada áudio conferência citada acima tinha duração entre 2 e 4 horas (sim, eu não aguento mais ver telefone na minha frente).

O resultado final demonstra que quando um grupo de brasileiros com competência técnica, maturidade e seriedade se junta para trabalhar em equipe, consegue coisas que realmente impressionam. A ABNT disse na reunião de ontem que nunca viu tamanha dedicação, esforço e força de trabalho em uma discussão de norma internacional tão gigantesca como esta. Disseram que estavam até preocupados com a saúde (física e mental) de quem estava trabalhando nisso.

Os delegados brasileiros (Eu, Deivi e Gebara) iremos à Genebra com o resultado da análise e com uma série de “critérios de análise” amplamente discutidos e consensuados, que irão nos guiar em todas nossas decisões. Iremos ainda com o poder de tomar qualquer decisão lá no BRM, desde que ela seja uma decisão unânime entre os três delegados. Isso tudo foi consensuado e aprovado na reunião de ontem (agradeço a todos pela confiança depositada na delegação e em mim).

Outro ponto importante da reunião de ontem foi a decisão de que a Consulta Nacional sobre a tradução da norma ISO/IEC 26300 (ODF) será realizada durante o mês de Março. Esta consulta visa a revisão da tradução da norma (não serão discutidos ou aceitos comentários técnicos sobre ela, uma vez que já é uma norma ISO) e é a etapa final antes da adoção do ODF como norma brasileira (NBR).

Fiquei muito satisfeito com este resuiltado em relação ao ODF, por ser o coordenador na ABNT do grupo que fez a tradução e por acompanhar o que foi comentado e publicado na última semana sobre o tema.

Houve uma tentativa de confundir a opinião pública dizendo que o ODF seria votado nesta semana na ABNT e que tudo seria feito para que o ODF não fosse aprovado (dei entrevistas a alguns órgãos de imprensa para explicar este “mal entendido intencional”). Parte desta manobra de FUD, incluia uma série de afirmações sobre a qualidade técnica do ODF e sobre as funcionalidades por ele suportada.

Na reunião de ontem, nenhuma das pessoas que tinha dito aos jornalistas que ia “fazer o possível” ou que “não ia deixar que isto acontecesse” ou ainda “ia promover um debate técnico” sequer abriu a boca na reunião para tocar no assunto quando o ODF foi debatido. Ao contrário disso, quando foi colocado que existiam pessoas que tentavam atrapalhar o processo de adoção do ODF no Brasil, fizeram uma “declaração de amor e respeito” ao ODF que realmente me comoveu (me enche os olhos de lágrima de alegria quando me lembro… quanto carinho…alguém aí tem um lenço…).

Quanto aos questionamentos técnicos feitos através da imprensa, tenho uma ótima notícia a todos: Até o final desta semana eu serei um membro do OASIS ODF TC (comitê que desenvolve o ODF no OASIS) , para garantir que os interesses e necessidades da sociedade brasileira sejam levandos em conta e atendidos pelo padrão ODF !!!

Tendo em vista o apoio apresentado por todos na reunião de ontem, o processo de adoção do ODF segue seu caminho natural e dentro da normalidade do processo.

Resumo do extenso post:

1 - Meu ano de 2008 acaba de começar e mãos á obra.

2 - Com muito orgulho estou indo Sábado para Genebra, representar o Brasil no BRM (e a boa técnica e o bom senso venceram novamente no Brasil).

3 - O ODF está seguindo seu caminho natural dentro da ABNT.

4 - O desenvolvimento do ODF agora vai levar em conta as necessidades do Brasil.

Pretendo manter meu blog atualizado com notícias sobre o BRM direto de Genebra…

2 Responses to “Feliz Ano Novo !!!”

  1. Tiago Maluta

    Olá Jomar,

    Eu assisti a sua palestra sobre o ODF no Campus Party e admiro seu trabalho na defesa do ODF. Recentemente, recebi um comentário (no blog indicado nesse comentário) dizendo que a Microsoft havia “aberto” seu formatos, e um link para o MeioBit [1]. Lá encontrei o endereço para o site da Microsoft [2]. Gostaria de saber qual a sua opinião a respeito.

    Referências:
    [1] http://www.meiobit.com/abertas-especificacoes-de-formatos-do-microsoft
    [2] http://www.microsoft.com/interop/docs/OfficeBinaryFormats.mspx

    Atenciosamente,

  2. Jomar

    Como sempre tarde demais, mas antes tarde do que nunca.

    Quem usa ou usou qualquer suite de escritório em Software Livre (como o BrOffice) já manipulava os documentos binários graças ao trabalho de uma legião de desenvolvedores que perderam dias e meses fazendo engenharia reversa nos documentos. Agora, que já tinham feito uma enorme parte do trabalho, a Microsoft abre o formato.

    Isso é uma boa coisa desde que seja verdadeira, desde que a documentação seja completa (eu me assustei quando vi que a documentação do Word tem apenas 210 páginas (e cobre as versões de 1997 a 2007 do formato).

    Uma coisa eu aprendi com a Microsoft: “Só acredito vendo”.

    Se for tudo verdade e se o formato binário estiver realmente 100% documentado, não teremos mais problemas em transformar o legado de documentos e salvar as informações armazenadas nele (lógico, os documentos gerados à partir de 1997). Isso vai contribuir bastante para a evolução de projetos como o OpenOffice e portanto, o “suporte ao legado” agora vai ser algo mais natural.

    Em resumo, se nunca nos ajudam, estão atrapalhando menos…

    Jomar

Deixe seu comentário

Proudly powered by WordPress. Theme developed with WordPress Theme Generator.
Creative Commons License