void life(void)

Fiquei muito feliz em constatar que um dos assuntos que efetivamente foi tratado nos corredores, palestras, pronunciamentos e rodas de bate papo no FISL foi o ODF.

Há um ano, quando participei do FISL 8.0, andava pelos corredores falando sobre o assunto para todos que conhecia e a grande maioria das pessoas tinha apenas uma leve noção do que era o ODF. Naquela oportunidade, fiz uma pequena participação em uma palestra do Cezar Taurion para falar sobre ODF e em uma sala com aproximadamente 200 pessoas, perguntei quem conhecia o ODF: Entre dez e vinte pessoas levantaram a mão.

Neste ano, na minha palestra sobre o tema (com aproximadamente 200 pessoas), repeti a mesma pergunta e fiquei muito feliz  ao constratar que apenas umas 20 não levantaram a mão.  O Vitório Furusho, da CELEPAR, também fez uma excelente palestra sobre o tema, com enfoque a Lei aprovada no Paraná. Sua palestra também contou com sala cheia.

Foi muito gratificante também andar pelos corredores do FISL e encontrar diversas rodas de bate papo sobre o ODF. Além disso, quando terminei minha palestra participei de uma destas rodas de bate papo com diversas pessoas, em sua maioria jovens entre 17 e 22 anos e algo me surpreendeu de verdade.

Em dado momento da conversa, um dos participantes perguntou (inocentemente): “E agora que o OpenXML foi aprovado na ISO, o que acontece ?”

Antes que eu pudesse responder, houve uma gargalhada geral entre os demais colegas e para minha surpresa, o mais novo deles simplesmente falou: “Cara, você acredita mesmo na ISO ? Aquilo é uma piada completa…”. Imediatamente foi apoiado pelos demais (acabou que eu nem precisei responder, dado o clima de piada que prevaleceu).

A lição que tiro disso é que este garoto, com seus 17 anos de idade, não deve ser o único em sua geração que pensa assim e por isso, pelos próximos 80 ou 90 anos creio que vai haver muita gente no Brasil e no mundo que vai poder falar coisa parecida sobre a ISO (e se imaginarmos o poder de comunicação viral que este pessoal possui, a coisa vai ficar difícil mesmo para nosso amigos de Genebra).

Para coroar o evento, descobri no último dia que um dos desafios da arena de programação do FISL era a implementação de um visualizador de ODF para a plataforma Maemo. Em algumas horas um grupo de desenvolvedores conseguiu desenvolver o visualizador. As primeiras informações que tenho sobre o tema podem ser encontradas aqui, mas estou aguardando um artigo completo dos organizadores da arena para publicar aqui nos próximos dias.

Anúncios sobre a adoção e utilização do ODF foram feitos durante o evento e realmente espero que no FISL 10, possamos todos comemorar junto com os 10 anos de evento (e com as 10 mil pessoas que se pretende colocar lá) a adoção do ODF como padrão de fato pelo mercado brasileiro. Quem sabe na vide-conferência com os astronautas da estação orbital, planejada para a cerimônia de encerramento, não possamos trocar com eles um documento em ODF ?

Gostaria ainda de agradecer novamente a todos aqueles que organizaram o FISL e a todos os participantes do evento, principalmente aos leitores do blog, que me paravam para conversar no FISL. Vocês conseguiram recarregar as minhas baterias para enfrentar mais um ano de trabalho em defesa do ODF: Muito Obrigado :)

Para finalizar, ouvi de um colega o apelido que um amigo dele colocou na Campus Party, e que acho ter mais sentido ser adotado como o codinome e slogan para o FISL 10 (e fica aqui minha sugestão aos organizadores do FISL):

FISL 10.0 : BEM VINDOS À NERDSTOCK 

4 Responses to “FISL 9.0: ODF, ODF e mais ODF…”

  1. Bruno

    É uma pena que você tenha deixado a piada prevalescer.

    Embora que concorde com você sobre o fato da ISO ser piada, lembre que a instituição não é piada para muitas empresas! E muitas delas correm feito loucas para adquiririrem o famosos ISO 9000.

    Enquanto a indignação do ocorrido for tratado como piada Jomar, o pessoal do FISL (da qual infelizmente este ano não pude ir) será minoria e não terão massa crítica para divulgar a forte mensagem de que essas organizações são corruptíveis.

    Deveria ter explicado o que pode acontecer e o que não pode acontecer. Explicado como a comunidade pode tornar isso (a aprovação do OOXML) irrelevante na prática das empresas.

  2. Jomar Silva

    Bruno,

    Não se esqueça que eu estava no BRM e vi com meus próprios olhos tudo o que aconteceu.

    Além disso, quem te garante que o mesmo não ocorreu na ISO 9.000 ou na ISO 14.0000 ou em qualquer outra (com a diferença de que talvez apenas a “parte interessada” participou, e por isso não sabemos nada sobre os fatos ocorridos).

    A ISO vale o que as pessoas acham que ela vale. Nem um centavo a mais, nem um a menos.

  3. Bruno

    Jomar, não estou questionando a credibilidade sua. Na verdade é uma pena eu não ter conseguido ir ao FISL. Pois queria conversar sobre o que você tacitamente viu mas que não pode dar em detalhes publicamente.

    Sei (pelo seu blog) que estava no BRM. Sei da possibilidade e efetivação de corruptabilidade e posso lhe contar histórias também grotescas que estão ocorrendo nesse país.

    “A ISO vale o que as pessoas acham que ela vale. Nem um centavo a mais, nem um a menos.”

    É nesse ponto sensível que quero tocar Jomar. Pois das pessoas que você levanta na frase acima muitas são PESSOAS JURÌDICAS, ou seja, empresas, corporações, de variados tamanhos. Elas empurram uma ferramenta tal, por que tal ferramenta é a “padronizada pela ISO”, ou porque todo mundo usa essa tal. Assim acontece com o AutoCad também Jomar.

    A indignação Jomar e a piada que sai dela (indignação) é o primeiro e importante passo, pois mostra que você não teve sangue de barata. Mostrou o jogo nada limpinho lá.

    Mas ficar só na indignação Jomar não adianta. Vou fazer umas perguntas. Acima no post, você conta que uma pessoa inocentemente perguntou o que aconteceria agora com o OOXML aprovado pela ISO. Não sei se o inocentemente em parênteses foi ironia ou se a pessoa fez uma pergunta de modo inocente mesmo.

    A pergunta é: Você considerou que a pessoa que fez a pergunta não estivesse totalmente interada do assunto? Você - depois dar gargalhadas - repondeu o que pode acontecer? E até indicar meios para tornar a descisão da ISO irrelevante?

    De qualquer modo estou aqui indicando o formato ODF para amigos, parentes, conhecidos, empresas. E como paranaense, aplaudo o incentivo do governo do paraná em lançar mão de ferramentas e formatos livres.

    Mais uma vez, quero dizer que o lado de cá está no time livre. Mas quer ajuda na construção do dircurso eficiente para mudar a atual mentalidade no setor industrial do nosso país. Quer que os não usuários avançados de computador sabiam o que representa uma ferramenta que é diferente do está empurrado goela abaixo por anos apenas no visual e nem tão diferente assim.

    Bruno.

  4. Jomar Silva

    Bruno,

    Eu expliquei a eles o que acontece (ao menos à parte deles que não saiu da roda de bate papo depois da gargalhada).

    O Inocente que escrevi foi de ironia mesmo e se recomendo a você a leitura de um posto muito interessante no blog do Tim Bray (um dos pais do XML): http://www.tbray.org/ongoing/When/200x/2008/04/15/OOXML

    Nele você pode perceber que o sentimento em relação ao OpenXML e a ISO é muito parecido entre todos que participaram do BRM (o Tim foi delegado do Canadá).

    []’s

    Jomar

    PS.: Comentei o post dele com as 4 perguntas básicas sobre o futuro do OpenXML. Infelizmente só tenho as perguntas e honestamente ninguém ainda tem as respostas.

Deixe seu comentário

Proudly powered by WordPress. Theme developed with WordPress Theme Generator.
Creative Commons License